sexta-feira, 14 de julho de 2017

Roger Waters é acusado de anti-semitismo por organização judaica


Tadinhos! Tão inocentes!

A Federação Judaica de Miami emitiu uma nota ontem repreendendo severamente o eterno líder floydiano pelo seu ostensivo boicote cultural a Israel, aliado ao movimento BDS (Boicote, Desinvestimento, Sanções), que solicita que artistas não se apresentem em solo israelita em protesto contra a política opressora de Israel frente ao território palestino.

Diz a infeliz nota:

"O antissemitismo e o ódio não são bem-vindos em Miami. Senhor Waters, pare de pedir apoio ao boicote cultural de Israel. Pare de usar sua plataforma musical para cuspir sua retórica venenosa e cheia de ódio, usando símbolos antissemitas e linguagem anti israelense em suas apresentações."

Vale ressaltar que Roger Waters há 40 anos vem fazendo o oposto a tal acusação, sendo enorme crítico às opressões políticas, separatistas e sobretudo anti-semitas, desde a Segunda Grande Guerra, denotando fortemente suas posições através de suas letras nos álbum do Pink Floyd, "Animals", "The Wall" e "The Final Cut", além de seus álbuns solos, principalmente o recém-lançado "Is This The Life We Really Want?" em que berra toda a sua reprovação ante o conservadorismo segregário do Presidente norte-americano Donald Trump.

É o tal negócio. Quem entende, entende. Quem não entende, não entende (ou finge que não entende).