segunda-feira, 31 de julho de 2017

Livro: The Piper at the Gates of Dawn e as Imagens Alquímicas de Syd Barrett


O recém lançado "The Piper at the Gates of Dawn e as Imagens Alquímicas de Syd Barrett" (disponível em e-book na Saraiva) é um livro que busca desvendar, a partir de uma perspectiva da filosofia hermética, o que está por trás de cada uma das músicas desse clássico do PINK FLOYD, que está completando 50 anos.

Servindo-se de textos dos mais importantes alquimistas, como Paracelso e Basilio Valentin, o livro destrincha cada uma das músicas, analisando-as em todas as suas minúcias, para apresentar a tese de que as mesmas são o resultado de uma experiência mística e visionária, inspirada pelo espírito do Grande Pã (como aconteceu com os personagens de Kenneth Grahame, em "The Wind in the Willows").

As canções, cuja composição coincide com o estágio inicial da esquizofrenia de Syd Barrett, momento este em que ele se encontrava particularmente sensível ao inconsciente, apresentam uma intrigante e surpreendente relação com temas alquímicos.

Essas experiências, somadas ao seu talento brilhante, e ao momento particularmente inspirado que vivia naqueles dias, regados, como se sabe, a quantidades inimagináveis de LSD, abriram-lhe as portas da percepção, ou melhor, os portões da aurora.

Com sua personalidade excêntrica e imprevisível, Syd Barrett é comparado ainda aos antigos gnósticos, pois esses espíritos indomáveis, cujos verbos preferidos são embriagar, perturbar, pasmar, são tomados por um tumulto interno e uma atividade desenfreada, cheia de imaginação. Para eles, nada é literal, e tudo é metafórico.

Esse é um estado que não acalma, nem acomoda. Ao contrário, espanta, perturba, podendo até mesmo gerar certa sabedoria, ou gnose.

Se "The Dark Side of the Moon" apresenta uma assombrosa sincronia com "O Mágico de Oz", "The Piper at the Gates of Dawn" também tem os seus mistérios, como fica evidente nesse livro, que mostra com riqueza de detalhes, e devidamente fundamentado, que o disco de estreia do Pink Floyd, consagrado a Syd Barrett, é uma autêntica obra alquímica.

Acesse o site do autor no link abaixo:
http://psicologiajunguiana.psc.br/

VIA THIAGO HESSE PARA O WHIPLASH