terça-feira, 23 de maio de 2017

Streaming: brasileiros consumiram 52% a mais dos serviços em 2016


Divulgada pela Pró-Música Brasil, pesquisa realizada pela Federação Internacional da Industria Fonografica (IFPI), indica que o streaming responde por 39,4% do mercado fonográfico no Brasil em 2016.

Em 2016 houve um aumento de 52,4% no consumo de streaming, que hoje representa 39,5% do consumo digital. Ao passo que as vendas físicas tiveram uma queda de 43,2% em relação a 2015 e os downloads caíram 20,5%.

De acordo com Paulo Rosa, presidente da Pró-Música Brasil, essa foi a "maneira que a indústria musical encontrou de sobreviver depois de quase duas décadas de quedas do faturamento".

Apesar do rápido e vasto crescimento do serviço de streaming, Rosa acredita que os números não significam que o mercado físico vai desaparecer, "sempre vai ter mercado consumidor para comprar música gravadas em suportes físicos, embora a tendência seja com que esse mercado cada vez mais diminua e se concentre em determinados nichos, com certeza os produtos de algum natureza religiosa, como a música gospel", que representa 30% dos álbuns mais ouvidos em 2016 no streaming.

Com marca de 112 milhões de usuário no mundo inteiro em 2016, a América Latina foi a região com maior crescimento no uso de streaming em 2016, com 12%, enquanto a América do Norte cresceu 7,9%, Oceania 7,1%, Ásia 4,7% e Europa 4%.

Leia mais na FOLHA ILUSTRADA