terça-feira, 23 de maio de 2017

Atentado mata 22 e fere 59 pessoas durante show da cantora Ariana Grande em Manchester



Londres – Uma explosão na noite desta segunda-feira em um show na cidade inglesa de Manchester, onde a artista norte-americana Ariana Grande se apresentava, deixou pelo menos 22 mortos e cerca de 59 feridos, no que a polícia britânica trata como um incidente terrorista.

(Atualização)
O grupo jihadista Estado Islâmico (EI) assumiu nesta terça-feira, 23, a autoria do atentado em Manchester, no Reino Unido, e afirmou que um "soldado do califado" colocou "muitos pacotes-bomba" em vários locais da cidade britânica.
A polícia disse que estava respondendo a relatos de uma explosão e que havia mortes confirmadas e outros feridos.

Uma testemunha que estava no show disse que sentiu uma grande explosão ao sair da arena, seguida de gritos e correria, com milhares de pessoas tentavam escapar.

“Estávamos saindo e quando estávamos logo ao lado da porta houve uma grande explosão e todo mundo estava gritando”, disse à Reuters Catherine Macfarlane, que assistia ao show.

“Foi uma grande explosão — deu pra sentir no peito. Foi caótico. Todo mundo estava correndo e gritando e só tentando sair.”

Testemunhas afirmaram que muitas crianças estavam no show.

A Manchester Arena, maior arena coberta da Europa, foi inaugurada em 1995 e tem capacidade para 21 mil pessoas, segundo o site. É um local popularmente usado para shows e eventos esportivos.

Um porta-voz da gravadora de Ariana Grande disse que a cantora de 23 anos estava bem. Um vídeo postado no Twitter mostra fãs gritando e correndo ao tentar sair do local.

ASSISTA AO VÍDEO

O Reino Unido está no nível de alerta “severo”, o que significa que um ataque de militantes é considerado altamente provável.

Testemunhas que assistiam na noite desta segunda-feira ao show da cantora Ariana Grande na Manchester Arena, na Inglaterra, descreveram à imprensa local cenas de pânico após uma grande explosão que deixou cerca de 20 mortos, segundo as autoridades locais.

“Todo mundo estava gritando e correndo, o chão estava repleto de casacos e telefones celulares. As pessoas simplesmente jogavam tudo”, contou à rede de televisão “BBC” Robert Tempkin, de 22 anos.

Majid Khan, de 22 anos, descreveu à agência de notícias “Press Association” que a explosão aconteceu logo após a última música apresentada pela cantora, quando o público começava a deixar a arena.

“Houve uma explosão, e todas as pessoas que estavam do outro lado do ginásio começaram a correr de repente porque tentavam sair para (a rua) Trinity Way”, afirmou.

Essa saída “estava bloqueada, por isso todo mundo corria para encontrar qualquer saída o mais rápido possível”, acrescentou.

Outra testemunha contou que pouco depois que a cantora se despediu do público, “as luzes se acenderam, houve grandes estrondos e as pessoas começaram a correr e gritar”.

“Entramos em um elevador para o andar de cima, para as saídas. Quando as portas se abriram, vi sangue no chão e duas pessoas feridas. Tinha sangue em todo o seu rosto”, disse.

O autor do ataque morreu no local ao detonar um artefato de fabricação caseira, segundo as forças da ordem de Manchester.

O chefe de Polícia dessa cidade, Ian Hopkins, disse em coletiva de imprensa que vários jovens estão entre os 22 mortos no atentado.

A cantora pop norte-americana Ariana Grande disse na madrugada desta terça-feira estar “destruída”, poucas horas depois de uma explosão matar 22 pessoas e deixar dezenas de feridos em seu show em Manchester, na Inglaterra.

Em seu primeiro comentário desde que uma bomba foi detonada do lado de fora da Arena de Manchester no final de sua apresentação, Ariana disse no Twitter: “Destruída. Do fundo do meu coração, eu sinto muito. Eu não tenho palavras”.