terça-feira, 25 de abril de 2017

Os fatos e números comprovam: o streaming está salvando a indústria musical


Segundo a IFPI (Federação Internacional da Indústria Fonográfica) entre 1999 e 2014 o mercado fonográfico encolheu 40% em seus investimentos.

Porém a partir de 2015 e especificamente em 2016, ela vem se recuperando tendo no último ano um crescimento de 5,9%, o maior desde 1997.

Ainda de acordo com a federação, o responsável pelo tal crescimento é o aumento das assinaturas dos serviços de streaming, tais como Spotify, Apple Music, Deezer, Tidal entre outros, que ganharam mais de 100 milhoes de assinantes premium, subindo em 60,4% os seus investimentos.

Enquanto isso, vendas físicas e downloads caíram 7,6% e 20,5% respectivamente.

Apesar das Taylor Swift da vida, o streaming vem em notável expansão e chegou para ficar, para o bem da música e seu mercado.