terça-feira, 28 de março de 2017

The Police: Andy Summers inicia turnê em São Paulo


Inglês da fria Lancashire, Estado que fica no noroeste da Inglaterra, Summers deixou a ilha britânica e se mudou em busca dos ares mais quentes da Califórnia. Mesmo calor que ele busca em suas visitas ao Rio de Janeiro. O número exato de vezes em que esteve na cidade, ele mesmo não sabe. Calcula ter vindo de 35 a 40 vezes. E lá está, mais uma vez. Desta vez, ele circulará ainda por São Paulo, Belo Horizonte, Porto Alegre, Rio e Teresópolis com a turnê Call the Police, um manifesto em homenagem à banda que Summers integrou de 1977 a 1986 – e reencontrou outras vezes em tours de reunião e despedida.

A apresentação em São Paulo é a primeira delas. O show será realizado no Tom Brasil, localizado na zona sul da cidade, a partir das 22h desta sexta-feira, 31. Para acompanhá-lo no palco, Summers terá o Barão Vermelho Rodrigo Santos no baixo e voz, o posto de Sting, e João Barone, do Paralamas do Sucesso, que fará as vezes de Stewart Copeland no comando das baquetas.

São, ambos, Santos e Barone, fãs de The Police. E, invariavelmente, as duas bandas deles, Barão e Paralamas, beberam da fonte de Sting, Summer e Copeland, às vezes de maneira discreta, noutras, escancarando a influência do reggae rock sem qualquer restrição. As duas bandas brasileiras são fruto do BRock, movimento do rock brasileiro que estourou a bolha dos inferninhos e chegou às rádios de todo o País depois do Rock in Rio de 1985. São de uma geração criada diretamente na sequência do estouro do The Police, que, em 1983, já tinha ganho seis gramofones do Grammy e não saíam das rádios com Every Breath You Take, Don’t Stand So Close to Me, entre outras tocadas à exaustão. Summers conhece Santos por intermédio do empresário que agencia os dois, brasileiro e inglês.

“Não deixa de ser lisonjeiro saber que a banda influenciou outras bandas. Que a influência atravessou o (oceano) Atlântico. Eles (Santos e Barone) são ótimos músicos e pessoas incríveis”, elogiou o guitarrista. No domingo, 26, Summers chegou ao Rio de Janeiro. Na segunda, 27, ele se reuniu com o restante do trio para dar início aos ensaios em um estúdio no Jardim Botânico. Barone e Santos já vinham ensaiando antes da chegada do ex-The Police. Summers, bom, não precisa praticar tanto assim o repertório que ele mesmo ajudou a criar. Os três, juntos, terão somente três tardes de ensaio até a estreia da turnê, que passa também por Ciudad del Este, no Paraguai.

CALL THE POLICE

Tom Brasil. Rua Bragança Paulista, 1.281, telefone 4003-1212.

6ª (31/3), às 22h. R$ 100 a R$ 200

Leia mais no ESTADÃO