quarta-feira, 29 de março de 2017

Há 35 anos Paul McCartney e Steve Wonder lançavam “Ebony and Ivory”


Eu tinha dez anos quando ouvi “Ebony and Ivory” pela primeira vez, apesar de não entender sobre o que a música dizia, parava para escutar aquela bela harmonia (que na época tocou bastante nas rádios do país todo). Algum tempo depois na aula de inglês estudamos a canção e passei gostar dela mais ainda (O ébano – ebony - é uma madeira escura e o marfim – ivory- é branco). A música de Sir Paul McCartney fala sobre harmonia racial e passados todos esses anos ainda nos deparamos com manifestações racistas por toda a parte.
No domingo passado, 27, fui ao estádio ver o jogo que é um clássico aqui no Mato Grosso do Sul. O “Comerário”, partida disputada entre o Comercial e meu time local que é o Operário. Na torcida do Operário, um homem xingava o goleiro França, um negro, de “macaco” e de outros impropérios que nem cabem publicar aqui. Meus amigos, eu e mais alguns torcedores repreendemos o torcedor exaltado, que percebeu que estava fazendo a coisa errada e ficou quieto.
O racismo ainda está presente na sociedade, seja velado, ou manifestado às claras. No mundo da música existem várias canções que exaltam a igualdade, ou chamam a atenção sobre a questão racial. Billie Holliday já havia denunciado os linchamentos de negros na espetacular canção “Strange Fruit”, Nina Simone foi militante ativa, quanto aos direitos dos negros e tantos outros trataram o assunto com sensibilidade.
A bela “Ebony and Ivory” foi escrita inspirada nas palavras do escritor, ator e comediante Spike Mulligan, que certa vez disse: "notas pretas, notas brancas, e você precisa tocar as duas para fazer harmonia gente!". O verso abre a canção: “Ebony and ivory live together in perfect harmony
Side by side on my piano keyboard, oh lord, why don't we?”
A música foi composta por Paul McCartney e gravada ao vivo no estúdio com o mestre Stevie Wonder. Primeiro lugar na Billiboard em 1982, atingiu êxitos grandiosos e para Paul foi o maior sucesso alcançado no pós-Beatles.
“Ebony and Ivory” foi lançada em 29 de março de 1982 e está no álbum “Tug of War” de Paul McCartney. Passados esses 34 anos ainda é um importante hino em favor da igualdade racial, e sem dúvida ainda emociona fãs por todo mundo. Que o ébano e o marfim caminhem lado a lado como nas teclas do piano.
Eu encerro esse texto com a frase de Martin Luther King, que cai muito bem para o assunto: “Não importa a cor quando duas mãos juntas estão projetando a mesma sombra”.

(Por Marcelo Rezende)

ASSISTA AQUI