segunda-feira, 6 de março de 2017

David Gilmour em quatro canções



Hoje David Gilmour, eterno guitarrista floydiano completa 71 anos de idade e inspirado nessa data, ouvi pela enésima vez o seu ultimo álbum "Rattle That Lock", lançado em setembro de 2015 e resolvi homenageá-lo com algumas palavras sobre quatro canções desse disco que para mim definem a essência musical e a aura em notas desse gênio das seis cordas.

Creio eu que o que faz um ouvinte gostar do som de David Gilmour é primariamente sentir aquele clima enebriante e envolvente que seu tocar traz aos ouvidos.

Traduzindo e ilustrando, começo pelas faixas de "Faces Of Stone" e "In Any Tongue", músicas que contém todos os melhores componentes e adjetivos que se pode atribuir a David Gilmour: sua voz macia e aveludada, apesar do tempo estar deixando-a gradativamente rouca, seu canto sereno, ( no caso de "In Any Tongue" tudo fica ainda mais belo com um assobio inicial) clima instrumental-floydiano pairando, desembocando no que os fãs sempre esperam, o solo entorpecente em profusão, cativando em cada nota, especialmente quando ele chega nas mais altas e agudas, que se sequenciam sem a menor pressa (e para que?), remetendo o apreciador a uma espécie de transe, a famosa e popular "viagem", termo tanto usado por fãs do Pink Floyd desde sempre. E isso tudo incrementado pelas belas letras da escritora e esposa, Polly Samson.

Faces of Stone - OUÇA AQUI

Faces of stone

That watched from the dark

As the wind swirled around

And you took my arm in the park


Images framed

Hung high in the trees

And you talked of your youth

But the years had turned dry as the leaves


Your lover was gone

His replacement to hand

And just what the difference was

You could not understand


In darkening grey

We walked back through the streets

Then you talked all night long

Of your childhood home by the sea


And I, my disguise a mask chosen by you

Believed every word I heard

At least I think that's what I tried to do


We sat on the roof

The night overflowed

No more was said but

I learned all I needed to know


Your Hollywood smile

Shone a light on the past

But it was the future

That you held so tight to your heart


Rostos de pedra

Que assistiram através da escuridão

Conforme o vento rodopiou ao redor

E você pegou meu braço no parque


Imagens concebidas

Penduradas no alto das árvores

E você falou de sua juventude

Mas os anos tinham transformado-na seca como as folhas


Seu amante tinha ido embora

O seu substituto para a mão

E apenas qual era a diferença

Você não conseguia entender


No cinza que escurece

Nós caminhamos de volta através das ruas

Então você falou durante toda a noite

De sua casa de infância à beira-mar


E eu, meu disfarce e máscara escolhidos por você

Acreditei em cada palavra que ouvi

Pelo menos eu acho que é o que eu tentei fazer


Nós nos sentamos no telhado

A noite transbordou

Nada mais foi dito mas

Eu aprendi tudo o que eu precisava saber


Seu sorriso hollywoodiano

Brilhou uma luz sobre o passado

Mas era o futuro

Que você segurou tão apertado em seu coração

In A Tongue - OUÇA AQUI


Home and done it's just begun

His heart weighs more, more than it ever did before

What has he done? God help my son

Hey, stay a while, I'll stay up

No sugar is enough to bring sweetness to his cup

I know sorrow tastes the same on any tongue


How was I to feel it

When a gun was in my hands

And I'd waited for so long

How was I to see straight

In the dust and blinding sun

Just a pair of boots on the ground


On the screen the young men die

The children cry in the rubble of their lives

What has he done? God help my son

Hey, stay a while, I'll stay up

The volume pumped right up but not enough to drown it out

I hear "Mama" sounds the same in any tongue


How am I to see you

When my faith stands in the way

And the wailing is long done

How am I to know you

With a joystick in my hand

When the call to arms has come


Em qualquer língua


Em casa e pronto, está só começando

Seu coração pesa mais, mais do que nunca antes

O que ele fez? Deus ajude o meu filho

Hey, fique um pouco, eu vou ficar

Nenhum açucar é o suficiente para trazer doçura para sua xícara

Eu sei que a tristeza tem o mesmo gosto em qualquer língua


Como eu iria sentir?

Quando uma arma estava em minhas mãos

E eu esperei por tanto tempo

Como eu poderia ver direito

Na poeira e ofuscante sol

Apenas um par de botas no chão


Na tela os homens jovens morrem

As crianças choram nos escombros de suas vidas

O que ele fez? Deus ajude o meu filho

Hey, fique um pouco, eu vou ficar

O som da bomba era alto mas não o suficiente para tirá-la dali

Eu ouvi dizer que "mama" soa parecido em toda língua


Como é que eu vou ver você

Quando minha fé fica no caminho

E o choro existe a tanto tempo

como vou conhecer você

Com um dispositivo em minha mão

Quando a chamada para a guerra veio.


Obviamente que David Gilmour nunca fora um gênio dentro do todo conceitual e temático do Pink Floyd, isso sempre foi o posto de seu colega complementar de banda, Roger Waters.

Mas Gilmour trazia para o Pink Floyd e nos dias de hoje traz em sua carreira solo a genialidade etéreo-musical em suas seis cordas e coleção de pedais.

Ao lado do saudoso tecladista Richard Wright, brindava o fã com uma sonoridade "quântico-espacial-efusiva", um na guitarra e o outro nas teclas, mantendo vivo no Pink Floyd a essência ensandecida de seu criador, Syd Barrett.

Tal atmosfera pode-se ser amplamente sentida em canções instrumentais, tais como as duas maravilhosas músicas "Beauty" e "And Then", que integram "Rattle That Lock".

Sequências de notas harmônicas e climatizantes em várias nuances propícias para um delicioso divagar musical onde o ouvinte pode querer não mais interromper.

OUÇA "BEAUTY" e "AND THEN"

E Feliz Aniversário Grande Gilmour!